Acessibilidade: A+ A() A-

 NOTÍCIAS

Virada Afro Cultural entra para a História do Município de Santana

Realizado pela Fundação Cultural Palmares, com apoio da Prefeitura Municipal de Santana e Governo do Estado, sendo bancado através de emenda parlamentar do deputado federal Marcos Reategui, o evento contou com uma mega estrutura montada na Av. Santana.

Por: Simone Pessoa/Valdei Balieiro - 02/07/2018 - 20:16

O prefeito Ofirney Sadala ressaltou que Santana estará sempre de portas abertas para sediar eventos com o intuito de fomentar a cultura e também contribuir com o desenvolvimento econômico do município.

Foto: Márcia Facundes/Amilton Matsunaga

Um dos maiores eventos da cultura afro-brasileira, a Virada Afro Cultural, terminou em grande estilo na Av. Santana, na noite do último domingo, 1º de junho, e entrou para a História do Município de Santana. Realizado pela Fundação Cultural Palmares, com apoio da Prefeitura Municipal de Santana e Governo do Estado, sendo bancado através de emenda parlamentar do deputado federal Marcos Reategui, o evento contou com uma mega estrutura, que abrigou empreendedores e serviu de palco para apresentações de artistas regionais e nacionais, além de grupos folclóricos e de tradições afro-brasileiras.

Em sua III edição realizada no Estado, a primeira fora da capital Macapá, a Virada Afro Cultural começou no dia 29, sexta-feira. No palco principal se apresentaram Zé Miguel, Fineias Nelluty, a banda de reggae Stillo Raiz e a atração nacional, a banda baiana Olodum.

Neste dia, também se apresentaram vários grupos da cultura negra no Palco 2, como: Centro Cultural e Religioso Ilê Axéibi Olufonnim, a Associação Beneficente Ylê Da Oxum Apará, Caminhos da Ancestralidade, Tambor de Mina Nago São Lázaro, Tambor Cultural Abassar de Ase Inkissy Mukumby, Tambores de Mina Nago, Stile Breack, Filhos de São Tomé do Alto Pirativa, Grupo Folclórico Ajudante, Raízes do Marabaixo Infantil, Grupo Folclórico de São Benedito do Mazagão, Associação Cultural São Tomé, Marabaixo Manoel Felipe, União Folclórica de Campina Grande, Raízes do Marabaixo da Gungá, Raízes do Marabaixo do Mazagão e Grupo de Marabaixo do Maruanum.

Com rodas de marabaixo e muito samba, o segundo dia de Virada Afro Cultura, sábado, 30, reuniu centenas de pessoas, que conheceram um pouco mais da cultura afro-brasileira.

No palco principal se apresentaram: Banda de Reggae Welem Monte, Grupo Pilão, Amadeu Cavalvante e as atrações nacionais Naná Martins e Grazzi Brasil.

No palco 2 foi a vez do Projeto Social Ginga pra Vida, Grupo de Capoeira Luta para Libertação, Associação Internacional Capoeira Mestiçagem, Cia de Dança Afro Zimba, Semente da Capoeira Regional, Capoeira Maculele Grupo Raça Amapá, Marabaixo São Sebastião da Ilha Redonda, Grupo de Marabaixo São João do Matapi, Grupo de Marabaixo de Santo Antônio do Matapi, Grupo Folclórico Tia Joaquina, Grupo de Marabaixo do Mata Fome, Grupo Folclórico Herdeiros do Marabaixo, Grupo Folclórico Tia Sinhá, Grupo Raízes do Bolão, Movimento Cultural Ancestral, Grupo de Dança Cultural Berço e Grupo Cultural Marabatuque.

Com maior público do evento, a III Virada Afro Cultural encerrou na noite do último domingo, 1° de julho, com o show nacional da cantora Margareth Menezes. Além dela, se apresentaram no palco principal Rogerio e Cia, Tambores Tucujus, Grupo São Batuques, Osmar Júnior e Realidade Negra.

Já no Palco 2, se apresentaram: Samba Axé, Cia de Dança Baraká, Marabaixo do Pavão, Grupo Folclórico São José do Mata Fome, Grupo Raízes da Favela, União Devotos Nossa Senhora da Conceição, Grupo de Marabaixo São João do Maruanum 2, Grupo Marabaixo Areal do Matapi, Grupo Herdeiros do Marabaixo de Campina Grande, Amojap, Grupo de Marabaixo São João do Maruanum, Grupo de Batuque Malocão do Pedrão, Associação Folclórica Santo Antônio e São Benedito do Coração, Grupo Irmandade São José e Associação Cultural São Sebastião do Mazagão Novo.

Para o presidente da Fundação Cultural Palmares, Erivaldo Oliveira, em um estado onde maioria da população se declara afro-brasileira, faz-se necessária a realização de eventos como a Virada Afro Cultural. Ele parabenizou os grupos de marabaixo e folclóricos que participaram, afirmando que ainda é necessário muita luta e união para disseminar a cultura afro-brasileira pelo Estado e pelo País. "Tem um grande escritor que diz 'Quer ser global? Quer que o mundo inteiro lhe conheça? Cante a sua aldeia! Cante o seu pedaço de chão' e o marabaixo é isso, é o meu pedaço de chão! Muito obrigado ao povo de Santana", declarou o presidente.

Em contrapartida, o deputado federal, Marcos Reátegui, autor da emenda que viabilizou os recursos que ajudaram na realização do evento, disse que a Virada Afro Cultural, além de disseminar a cultura afro-brasileira, serviu para alavancar o turismo no Estado, especialmente no Município de Santana, além de gerar emprego e renda para dezenas de famílias.

O prefeito Ofirney Sadala ressaltou que Santana estará sempre de portas abertas para sediar eventos com o intuito de fomentar a cultura e também contribuir com o desenvolvimento econômico do município. Ele elogiou a organização, ressaltando que os esforços foram recompensados com o sucesso total do evento.

 


PMS - Prefeitura Municipal de Santana
Av. Santana, 2913 - Paraíso, Santana - AP, 68928-060
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP
2017 - Licença Creative Commons 3.0 International